Informamos que saiu no Trevo de Julho/Agosto o artigo “Jesus não fazia Milagres – Página 18” sobre Magnetismo.

Ficamos felizes, pois esta é uma ferramenta que convenientemente estudada e aplicada pode auxiliar muitas muito àqueles que procuram a nossa casa, para alívio de suas dores em geral, auxiliar no tratamento da depressão e de muitas outras moléstias.

Dando assim um alívio para que cada pessoa possa trabalhar na sua auto cura.

Esperamos que este possa ser o primeiro de uma série sem fim de artigos, sobre esta ciência “Irmã gêmea do Espiritismo”.

Fraternal abraço

 


 

JESUS NÃO FAZIA MILAGRES

“As pessoas atuam com o pensamento e a vontade, mesmo involuntariamente sobre o fluido, modificando e dando a ele suas características pessoais, de caráter físico e moral, bom ou mal”

Desejai o bem!

Ide e Curai!

“Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios.”

(Mateus 10:8)

Diante do desafio de melhorar o atendimento ao número crescente de necessitados que batem à porta da nossa casa espírita e buscando atender ao comando do Mestre do “Ide e Curai”, procuramos nos exemplos do próprio Cristo uma maneira de como fazer. Segundo O Evangelho Segundo o Espiritismo, os chamados milagres de Jesus não passaram do uso de recursos naturais do ser humano.

“Ora, que eram esses milagres, senão efeitos naturais, cujas causas os homens de então desconheciam, mas que, hoje, em grande parte se explicam e que pelo estudo do Espiritismo e do Magnetismo se tornarão completamente compreensíveis?” (Capítulo 19:12)

Na Revista Espírita de mar- ço de 1858, diz o Codificador que o Espiritismo e o Magnetismo são duas ciências irmãs e que se completam e se explicam mutuamente. “Se tivermos que ficar fora da Ciência do Magnetismo, nosso quadro ficará incompleto e podemos ser comparados a um professor de física que se abstivesse de falar de luz”.

Em janeiro de 1869, 11 anos depois, Kardec continua a ressaltar a ligação indissolúvel entre o Magnetismo e o Espiritismo: “O Magnetismo e o Espiritismo são, com efeito, duas ci- ências gêmeas, que se completam e se explicam uma pela outra… Isoladas uma da outra, detêm-se num impasse”.

Considerando então a necessidade da melhoria contínua dos nossos mé- todos de cura, que Jesus curava pelo Magnetismo e que Kardec praticou o Magnetismo por mais de 35 anos, antes de iniciar a Codificação, vimos a necessidade de estudar o Magnetismo, e por isto, formamos um grupo de estudo do Magnetismo na Fraternidade do Ipiranga.

O que é o Magnetismo?

“O Magnetismo vem a ser o processo pelo qual o homem, emitindo os fluidos do seu perispírito, age sobre outro homem, bem como sobre todos os corpos animados e inanimados” (Michaelus, livro Magnetismo Espiritual).

O Magnetismo pode ser entendido como um conjunto de técnicas curativas, através da transferência do fluido vital que é um fluido que assimilamos e emitimos naturalmente, voluntária e involuntariamente.

Dentre os fenômenos magnéticos, podemos citar as curas físicas, os tratamentos desobsessivos, o sonambulismo, a dupla vista, o êxtase, a catalepsia, a letargia, a telepatia, o hipnotismo, a influência sobre as pessoas, animais, plantas, água, ambientes e objetos.

“O homem atua sobre o fluido, agente universal, modifica-lhe as qualidades e lhe dá uma impulsão por assim dizer irresistível” (ESE – capítulo 19).

As pessoas atuam com o pensamento e a vontade, mesmo involuntariamente sobre o fluido, modificando e dando a ele suas características pessoais, de caráter físico e moral, bom ou mal, ou seja, se uma pessoa está bem de saúde física, neste aspecto seu fluido será saudável.

Se uma pessoa deseja o bem da outra e quer a sua cura, ela cura. Se uma pessoa é invejosa e quer o que é do outro, voluntária ou involuntariamente, ela projeta fluidos negativos que pode matar plantas, adoecer animais e crianças, dependendo do grau de proteção de seus alvos.

Adicionalmente, nós nunca estamos sozinhos, quando projetamos o nosso magnetismo, os espíritos que nos acompanham ou que têm interesse no que estamos fazendo, potencializam e até centuplicam os nossos fluidos.

“O Espírito atuante é o do magnetizador, quase sempre assistido por outro espírito. Ele opera uma transmutação por meio do fluido magnético. Ora, desde que se pode operar uma modificação nas propriedades da água, pode-se também produzir um fenômeno análogo com os fluidos do organismo, donde o efeito curativo da ação magnética” (Livro dos Médiuns, capítulo 8 – item 131).

Continua…

Edgar Lourençon e Jairo Dias Edgar – são do Centro Espírita Fraternidade do Ipiranga/ Regional São Paulo Sul

 


 

Leia a revista na integra clicando no link abaixo.

O TREVO | EDIÇÃO 479 | JULHO/AGOSTO 2016